morro do Macaco

domingo, abril 20, 2008

meu piano de cauda Lee Miller sambou ribanceira abaixo

a mulata me pegou no cocuruto do morro admirando as sereias da praia de Ipanena... Não adiantou desfiar toda aquela lenga-lenga do folclore nacional, do Câmara Cascudo, do Mario de Andrade, da licença poética, da beleza da dialética do samba - a criola é profundamente pragmática


2 Comments:

At 1:25 da manhã, Anonymous Uma said...

merecidamente?

 
At 7:10 da manhã, Blogger malta said...

Mete - me dó ver assim um instrumento tão poderoso como o piano estragado e detiorado nestas ruinas. N há direito!!!!
Eu sou maestro e violinista e se podesse arranja - lo fazia - o com muito gosto assim não ficava cm o coração partido!!!!!!!

 

Enviar um comentário

<< Home